Livro, Filme ou só fanboyzisse mesmo?

O HobbitLivros viram filmes. Filmes viram livros. Às vezes um ou outro vira série, ou qualquer outra coisa. E isso é bom, pois vejo que a cultura de aventura e fantasia desde o lançamento do Senhor dos Anéis aumentou bastante, pode ser coincidência, não sei, mas percebo mais pessoas sem monóculos jovens lendo livros, mesmo que seja apenas aventuras fantásticas ou romances melosos entre seres extraordinários. Ponto para Spohr, Draccon e afins. Eu tenho consciência que livro melhora vidas, se bobear até muda e acho que leitura é fundamental para a pessoa não ser um mero compartilhador de conteúdo de Facebook. Ponto para os consumidores de cultura nerd contemporânea.

Stephen Fry
Fiquei esperando o momento que o Stephen Fry ia comer um Cornetto

Mas com isso nasceu a geração “o livro é melhor”. É engraçado isso, por que eu percebo em muitos desses apenas a soberba de ter lido o livro, o que é uma coisa legal, mas não é uma coisa balizadora entre o bem e o mal. Eu por exemplo nunca li o Senhor dos Anéis, e sei lá, não está nos meus planos ler nos próximos 5 anos pelo menos, e nem por isso me acho “menor” do que alguém que o tenha lido, quando vejo o filme. Eu sei que quando você tem um conhecimento prévio de filme te faz ter outra ótica, eu comprovo isso vendo os filmes dos quadrinhos que estão rondando minha vida desde moleque, como Vingadores, mas não por isso vou deixar de apreciar as coisas legais que eu não conheço, ou apreciar algo que conheço e foi mudado para caber na tela.

Kate
A Kate treinou bastante na ilha de Lost e veio parar no mundo de Tolkien

Estou falando isso por causa da crítica ao segundo filme do Hobbit. Inicio falando que não sou um grande fã dos filmes baseados em Tolkien, apenas um apreciador, e por isso não me julguem se eu acho a trilogia do Senhor dos Anéis bons filmes, mas apenas isso (ou me julguem dentro de sua cabeça mas não me encham o raio do saco). Acho eles muito cheio de melosidades, muito discurso e pouco vamos ver, talvez exceção seja feita ao Retorno do Rei. Sempre que penso nesses filmes me lembro daquela extensa cena sonífera da Galadriel discursando com paisagens passando no fundo, ao estilo PowerPoint da tiazinha. E não achei isso em o Hobbit.

Martin Freeman
Bilbo é bacana, mas sou mais Arthur Dent

Tem sim seus momentos aff, tipo os anões cantando na casa do Bilbo, que me lembrou aqueles filmes antigos da Disney, mas tudo bem, foi rapidinho e cortaram essa parada logo. Hobbit tem sido divertido, tem focado no lance de aventura, lutas, suspense e até humor, que ficou muito melhor dosado no segundo até. O ator Martin Freeman que eu achei uma escolha péssima no primeiro filme por ele não conseguir sair do aspecto cômico, o estilo dele, mas nesse segundo ele equilibrou melhor isso e o Bilbo matou a pau. E os anões também. Menos o líder Thorin, que é um babaca enjoado. Mas sempre há o babaca enjoado nessas turminhas do barulho.

Mas a questão é que estão falando mal do filme. Vi o Thiago Siqueira metendo a lenha no filme no site do Rapadura, e pô, tá beleza, ele é crítico, é pago para isso e blá blá blá, mas percebi que tudo que ele disse lá, foi influenciado pelo livro. Então beleza, aceito a opinião dele, mas cara, temos que começar a olhar diferente essas questões. Para quem se interessa (duvido) o A Desolação de Smaug foi o melhor Tolkien no cinema na minha opinião, pois foi divertido, a suspensão de crença não foi ultrapassada como no primeiro, teve lutinhas bacanas (aquele gordinho foi muito legal), deixou um clima legal durante todo o filme, e conseguiu com que as partes babaquinhas fossem pequenas o suficiente para só constar, e não ficar enrolando muito.

Mandarim
Deixa o Mandarim cagar, homem de ferro!

Homem de Ferro 3 me ensinou uma coisa. Devo isolar o filme e pensar: independente de material lançado previamente, se essa história fosse original, eu curtiria? O Mandarim foi galhofa? Claro que foi, não é uma caquinha do que ele é realmente nas HQs. Mas eu ri com ele falando que ia bater um barro? Pô, demais!!! Não estou aqui falando que Homem de Ferro 3 é um filmaço não, para mim foi apenas um bom filme, que fez o suficiente para ficar no positivo, e para mim, se ficou no positivo, já valeu meu ingresso.

Legolas
Whatever se Legolas não tá no livro. Mas tá uma bichona.

Então voltando para o Hobbit, Legolas não tava no livro, cenas foram incluídas? I DON’T CARE! Temos que pensar que o livro se vendeu do jeito que era, mas o filme tem que se vender do zero, pois a esmagadora maioria não leu o livro, e muitos foram ver o filme esperando ver o personagem mais sacal do universo Frodo e sua patota, e falariam mal é se não tivesse. Aí quero ver se o filme não se paga e a sequencia é cancelada por falta de bilheteria (tá, caso muito hipotético para o Hobbit, mas poderia acontecer).

Enfim, para resumir, acho que antes de falarmos mal de uma nova mídia para uma história, pare, feche os olhos e pense: isso foi feito para mim? Se você já conhece a parada por causa da mídia original, vou ter que te contar uma notícia triste. Não. Não foi. Todo produto foi feito para vender, e toda venda tem de ser maximizada, todo produto de gueto acaba morrendo. Pode até criar um frisson inicial, mas se não sair do gueto, morre. Você que já leu o livro antes, tenha certeza, eles quiseram te agradar de alguma forma, mas você não é o alvo, pois você nem percebeu, mas é cliente cativo, pois você pode falar o que quiser, mas vai em todas as sessões.

“BITCH!”

PINKMAN, Jesse

http://www.youtube.com/watch?v=Y47IBN7UGYo

Se não é essa cena que me referi, é chata igual.

Comentários do Facebook (Disqus tá lá embaixo)

Comentários do Facebook

Gobbo

Há muito tempo atrás, numa galáxia muito distante (conhecida como Espírito Santo, no Brasil, acredite, esse lugar existe!), Gobbo perambulava por uma calçada quando, sem saber, andou em sincronia perfeita no tempo e espaço com um antigo ritual da tribo Roken Row, que despertou índios em estado inanimado em uma caverna do Téquissas, e então ele se transformou em… nada. Continuou sendo o mesmo cara, mas uma antiga profecia Roken Row diz que aquele que acionar os índios através do ritual, deve ser munido de toda cultura inútil quanto possível, para que assim ele possa fazer algo que não se sabe o que, mas que trará um grandioso resultado, que não se tem idéia. E desde então ele vem sendo observado sem notar, e tem absorvido uma quantidade absurda de informação desnecessária, tornado-o em: um cara comum qualquer que passa do seu lado e você nem nota.

  • Gustavo Costa

    O que?? Você não leu Senhor do Anéis? Infiel!!!! Queimem o bruxo!

    • Adriano Gobbo

      Talvez um dia…

  • PatrickOrelha

    Drica, primeiramente, muito legal o seu post! Concordo com a sua visão com relação ao mimimi dos hipsters de livraria! Apesar das nossas opiniões serem MUITO diferentes com relação a Sr. dos Aneis e tal, concordo q essa batalha entre literatura e cinema é idiota! Se alguém vai pro cinema querendo assistir o livro, é melhor ficar em casa lendo! O cinema é uma ferramenta criativa e quase sempre q a liberdade de um roteirista ou diretor é podada ou influenciada por fatores externos o filme acaba virando uma bomba! É claro q a coisa é diferente quando um personagem querido acaba sendo maltratado na tela, como foi o lanterna verde. Mas aí já é outro esquema. Ainda não ví o segundo O Hobbit, e posso dizer q provavelmente vou gostar. Mas não mais do que a primeira trilogia. Na minha opinião, Sr. dos Anéis é um perfeito exemplo de adaptação para o cinema. O Peter Jackson entendeu que ele tinha q mudar varias coisas pra fazer a historia funcionar no cinema. E foi exatamente isso que ele fez. Há mudanças BEM chocantes na trilogia q deixaram muito fanzoca de Tolkien de cabelo em pé, mas aposto que depois q a trilogia bombou foi todo mundo comprar a versão extendida! Nunca vou poder dizer q o livro é melhor, não da pra comparar! A Trilogia SDA é com certeza uma das minha obras cinematograficas favoritas pq apezar das mudanças, me deu a possibiliadade de ver aquele mundo q eu tanto imaginava na telona. Isso não teve preço! Valeu pelo post, muito legal!

    • Concordo com vc Patrick… É impossível assistir no cinema a um livro ou HQ na íntegra, são mídias completamente diferentes… e outra, como seres humanos distintos, formamos imagens diferentes a respeito de um mesmo tema, por tanto, não é possível preencher as expectativas de todos os leitores.
      Isso está mudando um pouco agora com a demanda da industria cinematográfica por novos best sellers, fazendo os autores produzirem coisas já pensando em uma adaptação para o cinema.
      Mas mesmo que a fidelidade com a obra original não esteja ali, esta sendo muito bacana conversar com pessoas que não tem o menor perfil de leitores de Homem de Ferro ou Wolverine a respeito dos nossos heróis favoritos, por isso estou cagando para os Fanboys! 😛