Clube dos 27 – Morte ou fim de contrato?

Não sei quanto a vocês, mas eu fico triste de verdade quando alguma banda que gosto muito acaba. E quando este término é relativo a morte de alguém então!? Posso até ficar de luto, pensando por alguns dias como eu poderia ter “tietado” melhor, ter dado mais curtidas na fanpage do cara (ter mandado cartas psicopatas com letras recortadas de revistas), enfim, coisas que um fã faz e que dão toda razão a existência daquele ser performático que tanto idolatramos.
A propósito, é muito engraçado a forma como esse pessoal costuma morrer. Geralmente são mortes idiotas como: asfixia com próprio vômito, acidentes esquisitos, brigas em butecos… Aquele tipo de situação que é tão constrangedora, que eles devem fazer um compilado no céu com estas cenas e passar num telão como se fosse video-cassetada (a versão do inferno para isso continua como a que conhecemos, com o Faustão narrando e pedindo pra repetir várias vezes).
Isso é curioso mas também nos leva a uma outra estranha realidade: a quantidade de músicos que morreram (de forma idiota ou não) aos 27 anos! É uma lista relativamente grande, que começa no século 19 e vem até os dias atuais.

The-27s-The-Greatest-Myth-of-Rock-Roll-de-Eric-Segalstad-e-Josh-HunterIsso não é novidade e sempre se especulou a respeito desta “coincidência”. O livro The 27s: The Greatest Myth of Rock & Roll, dedicado a compositores e cantores de rock que também faleceram nessa idade. Aborda de uma maneira bem ampla os fatos e a superstição envolvida nessa história dos 27. Escrito por Eric Segalstad e com ilustrações “fodásticas” de Josh Hunter, o livro tem poucas fotos reais, mas tudo foi produzido de forma bastante artística. Não existe uma versão em português mas, pra quem gosta, acredito que valha a pena dar uma desenferrujada no “ingrês”.

A ORIGEM DO CLUB

O caso que deu o start nessa “bagaça” toda, foi o do guitarrista de blues, Robert Johnson. Alguns fãs, dizem que ele morreu envenenado com whisky batizado com estricnina, em um bar chamado Tree Forks. A bebida teria sido dada pelo dono do estabelecimento após Johnson ter dado em cima de sua mulher. Ele até sobreviveu ao envenenamento, mas morreu dias depois debilitado devido a uma pneumonia. Já outra versão (a mais legal), é que ele fez um pacto com o capeta!robert-johnson-the-devil
Para ser um guitarrista “motherfucker”, ele levou seu violão e uma garrafa de whisky adulterado a encruzilhada das rodovias 61 e 49 em Clarksdale, Mississippi. Reza a lenda, que o diabo tomou de suas mãos o violão e afinou em um tom mais baixo, desde então ele passou a tocar da forma como o ouvimos em suas gravações.
Son House outro “bluseiro” da época  que conviveu com o cara, ajudou a espalhar o boato. Ele dizia que um certo dia, o maluco saiu correndo do bar onde tocavam dizendo que cachorros negros corriam atras dele, horas depois disso, foi encontrado morto com marcas de dentes e feridas no rosto em formas de cruz, com seu violão intacto ao seu lado (bate com o perfil: morte horrível, cães pretos, objetos intactos). O que eu fui saber mais pra frente, é que aquele filme “A Encruzilhada” (Crossroads de 1986), com o Steve Vai (é o único que vale a pena mencionar… tá bom… e o cara do caratê kid também) foi inspirado nessa lenda do Johnson. De vez em quando, algum seriado do tipo Supernatural, explora um pouco mais o causo.

GENTE BOA, GENTE NÃO TÃO BOA

Quando tomaram conhecimento deste fato, os mais paranoicos começaram a associar os caras no auge que batiam as botas aos 27 com o mito de Robert Johnson. Foi assim com alguns nomes como por exemplo Brian Jones, membro fundador do que seria mais pra frente aquela bandica chamada Rolling Stones. Ele foi encontrado morto na piscina de casa.
Outro cara f#d@ que foi pego nessa presepada dos 27 foi foi Jimi Hendrix. Da mesma forma que o antigo vocalista do AC/DC, Bon Scott (que morreu com 33, fique claro), Hendrix se engasgou e morreu asfixiado com o próprio vômito (literalmente, é uma morte muito infantil). Isso foi em setembro de 1970, em outubro Janis Joplin (cara, na boa, eu sempre achei que ela tinha uns 50 quando morreu) partia para o outro mundo.
Também mais expressivos podemos citar: Jim Morrison em 71, Kurt Cobain em 94 (engraçado que é o ano em que o Bieber nasceu, acho que ele já havia previsto a desgraça) e a mais nova integrante do club, Amy Winehouse (que já não era tão surpresa assim, tendo em vista seu estilo de vida destrutivo as tentativas de reabilitação e ela dizendo sempre no no no Ba dun TSC)
galera

UMA TRISTEZA PARTICULAR

kurt_nerdA morte do Kurt Cobain teve em mim um forte impacto, doloroso a curto e longo prazo. Me lembro de escutar na traidora rádio 89 (que na época era a rádio Rock e que recentemente tenta retomar o título) o anuncio da morte do Kurt. Eu no auge dos meus 14 anos, cheio de rebeldia com os meus discos e cassetes (e uma certa relutância em dar fim aos meus comandos em ação), me achava o “punk transgressor” quando ouvia músicas que eram sujas, agressivas com solos distorcidos de guitarra e letras com o “f#d@-se” ligado (uma vez fui pescar com uns amigos do meu padrasto em Mato Grosso, e um deles fez questão de contar quantos “Rape me” eram gritados no final da música homônima). Enfim, o grunge era um movimento que surgia e a molecada sentia que era algo que marcaria nossa geração, assim como outros estilos marcaram suas respectivas épocas. Kurt Cobain junto com o Nirvana era o nosso principal representante com suas roupas amassadas e desgranhadas, o estilo introvertido fora dos palcos… seria esse o estandarte dessa “revolução” musical que tanto nos orgulhava, seria ele que ia desmontar de uma vez por todas, aquele visual poser das bandas dos anos 80 que “queimavam o filme” (para um garoto de 14 anos pelo menos). Mas não funcionou bem assim…
Em 5 de abril de 1994, Kurt Cobain, foi encontrado morto com um tiro de espingarda na cabeça e uma carta de despedida:

carta do Kurt

Engraçado que nem na arma, nem na carta, muito menos a caneta usada, foram encontradas suas digitais. Dizem também que a letra não era dele.
Como fã (apostólico romano), culpei a Courtney, culpei o produtor dela, culpei até o Billy Corgan do Smashing Pumpkins (que teve um caso com a viúva), amparado na teoria de que Courtney Love tivesse dado cabo dele. Mas isso não mudaria o fato que a minha banda favorita da época havia acabado. Este foi impacto doloroso a curto prazo. A longo prazo, minha dor em ver algo relacionado ao cantor veio através das telas, no que seria o pior filme que já vi em minha vida e se o protagonista não tivesse se matado, com certeza eu o teria feito. Últimos dias de Gus Von Sant´s é um filme moroso, tedioso e tosco que nem um fã engole (aconselho muito mais o documentário Kurt and Courtney).

CONSIDERAÇÕES INÚTEIS

Fato, é que essa galera vem e vai, o próprio biógrafo de Jimi e que também foi de Kurt, Charles R. Cross, durante suas pesquisas, se deu conta que realmente as pessoas morrem relativamente em diversas faixas etárias, mas músicos tem uma propensão curiosa de “encerrar a carreira” na terra aos 27.
Pode ser que os 27 anos coincida com o ápice do sucesso e estresse que todo músico ou figura pública em geral sofre. Recorrendo a bebidas e drogas pra tentar tornar a situação um pouco mais tolerável. Uma tentativa de manter o artista vivo, as custas de uma vida pessoal. Mas também pode ser que em alguma encruzilha, nesse exato momento, uma nova estrela da música esteja nascendo enquanto outras se apagam. Pouco interessa, isso apenas prova que tanto queremos e nada temos, não importa se é por mérito próprio ou “outros” recursos, a falta de estrutura e de planejamento de uma carreira (ou de não ler as letras miúdas de um contrato feito pelo diabo), pode fazer que o sucesso que tanto anceia se torne uma morte no mínimo vexativa, onde ninguém lembrará de seu nome, apenas de seu alter ego.

Comentários do Facebook (Disqus tá lá embaixo)

Comentários do Facebook

Leandro

Nascido e criado em um dos ambientes mais inóspitos do planeta. Ele lutou para não se corromper em um lugar onde o medo, a morte e um odor putrefato selecionavam os indivíduos mais aptos a subir (ou descer) um degrau na cadeia alimentar. A granja de codornas foi um verdadeiro teste de coragem, onde lidando com animais perigosos e com pouco senso de higiene, teve que sobreviver coletando fezes e ovos… muitas vezes com as próprias mãos!!! Depois de um plano audacioso que envolvia uma faculdade de publicidade e 40 toneladas de dinamite, ele conseguiu escapar e deixou para trás esse lado negro (e fedido) da sua vida. Mas mesmo hoje, com sua família e seu império da comunicação, há algo que ele faz questão de não esquecer: comprar ovos de codorna para salada!

  • Álvaro Xavier

    Temos um brasileiro que por alguns meses não entrou nesse clube aí. Noel rosa morreu alguns meses antes de completar 27

  • Adriano Gobbo

    Enquanto isso Mc Catra já passou dos 27 filhos…

  • Robson Martins

    Esse povo que não sabe ler um contrato sempre acaba se dando mal nas letras pequenas escritas com sangue de bode!!! #fato

  • Alex Rocha

    Não muito a ver com o assunto dos 27, mas referente ao fato de um ídolo morrer, no longíquo ano de 2010, no Jornal da Globo, saiu uma breve nota sobre o vocalista de uma banda que havia morrido num acidente de moto (olha ela aí). Um tal de Steve Lee, de uma tal banda suiça chamada Gotthard.

    No outro dia fui pesquisar a referida banda e fiquei maluco! Me amarrei no som dos caras, baixei toda a discografia e sempre ouço aqui, vejo shows no Youtube e tudo mais. Ao mesmo tempo lamentei quanto tempo fiquei sem curtir a banda com o cara ainda vivo…

    Depois disso, a banda gravou mais dois discos inéditos com um novo vocalista. Um cara com o timbre de voz bastante aproximado do falecido e com músicas tão fodas quanto da era do Steve. Ainda bem que a banda continua.

  • Um fato que é sempre ignorado quando o pessoal fala desse clube do capeta: Ozzy Osbourne foi hospitalizado em virtude a uma overdose bem no dia do seu aniversário de 27 anos!! Passou raspando! Ele deve ter chegado lá na casa do capeta e foi mandado de volta…ok mentira, inventei isso tudo…mas imagino quantos rockeiros destrutivos não fazem festa quando passam dos 27…

    …ah, o Randy Rhoads, guitarrista do Ozzy morreu com 26 anos em 19 de Março de 82, 3 dias antes do dia que nasci!! Acho que o mundo estava tentando balancear a quantidade de gênios da guitarra. Se foi um, nasceu outro! o/