Zerei + um #011 – The Pinball Arcade

Olá amiguinhos! Hoje vamos falar desse jogo que que é capaz de te deixar horas preso em frente ao console e fazer você esquecer completamente que o mundo existe. O sensacional e viciante The Pinball Arcade!

Eu acho que não há como eu dizer a vocês que eu zerei o game. Como alguém zera uma mesa de Pinball? Chegando a pontuação de 9.999.999? não sei. O fato é que o objetivo é fazer mais pontos, como nos velhos tempos de Atari 2600, aqui não há final de jogo. Talvez você possa me dizer que zerar The Pinball Arcade seja fazer a pontuação máxima que o contador consegue contabilizar, em cada uma das dezenas de mesas que o jogo disponibiliza. Pois eu te digo, isso não seria zerar o jogo. Isso seria não ter vida. O que eu fiz foi bem mais modesto, e mais aceitável do que isso.

O meu feito com esse game se resume em ser o habitante deste planeta (com conta na psn) que atualmente tem a maior pontuação em duas das mesas. Black Hole e Tales of The Arabian Nights. Eu sou esse cara aí ó, o AXS.

Black Hole
Bad Blood

Tales of The Arabian Nights
Bad Blood

Como podem notar, em Black Hole estou 4 vezes no hanking, pois foram inúmeras as tentativas, e eu acabei progredindo aos poucos, conquistando a quinta posição, depois a terceira, depois a segunda e depois a primeira. Quando joguei Tales of The Arabian Nights eu já não estava tão tuim assim, e foi mais fácil, por isso apareço na quinta e na primeira posição. Essas são duas das quatro mesas que vieram grátis no jogo. Pretendo comprar outras mesas, mas por enquanto estou só com as grátis mesmo. É a crise.

Não foi fácil conseguir entrar nesse ranking aí (ou deve ser fácil, mas eu sou noob demais) e um detalhe me incomoda. Eu não sei como os servidores do jogo administram essa pontuação. Será que eu sou o que tem esse número considerando todas as versões para as diversas plataformas que ele foi lançado ou isso aí se refere somente aos gamers do PlayStation 3? Se você tem o jogo em outra plataforma me diga se o meu nome aparece por aí. Aliás, só não joga The Pinball Arcade quem não quer, ele foi lançado para Android, iOS, OS X, PlayStation 3, PlayStation 4, PlayStation Vita, Xbox 360, Xbox One, Kindle Fire, PC e Ouya. E se você tem um Ouya, meus parabéns.

O grande lance de The Pinball Arcade é que ele emula mesas que existem na vida real. Tudo é simulado perfeitamente. O tamanho da mesa, a inclinação, o peso da bola, o som, todos os detalhes são reproduzidos milimetricamente e te fazem querer um dia estar frente a frente com uma dessas mesas. Por enquanto o máximo que podemos fazer é ver as mesas de verdade no youtube. Compare aí a versão do jogo e a versão física.

Black Hole em The Pinball Arcade
https://www.youtube.com/watch?v=m42iMbjYlAs

Mesa real de Black Hole

Tales of The Arabian Nights em The Pinball Arcade

Mesa real de Tales of The Arabian Nights

Notem um detalhe bem legal da versão digital. A câmera que segue a bola de perto. Isso dá um dinamismo bem bacana é algo que não se pode ter na versão física. O game disponibiliza a mudança dessa opção, você pode jogar com a câmera fixa se quiser.

Dessas duas mesas que citei aí Black Hole é a minha favorita. É de longe a que mais joguei. A sua versão física foi lançada em 1981 e é baseada em um filme homônimo de 1979, produzido pela Disney, que provavelmente você nunca viu, eu também não vi e nunca verei. A mesa realmente tem um buraco negro. Um compartimento embaixo do “andar principal”, onde a bola rola. Existe um corredor na lateral superior esquerda que conduz a bola até essa espécie de “subsolo” e você pode ver tudo o que acontece lá embaixo através de um vidro, no chão do “primeiro andar”. Lá, a inclinação é ao contrário, na direção da cabeceira de mesa, e existem duas paletas. Quando a bola cai lá seu objetivo é não deixar ela voltar ao andar superior da mesa antes que um “portão” se abra para que ela volte sem que você a perca. Ao conseguir o open gate você pode deixar a bola voltar sem problemas e continuar jogando no andar superior, porém, é interessante que você permaneça com a bola lá em baixo, mesmo após conseguir abrir o tal portão, pois lá você tem uma contagem individual de pontos (somente do andar inferior) e pode multiplica-la até 6 vezes. Eu não sou nenhum expert em mesas de pinball, mas acredito que esse lance do Black Hole, na mesa Black Hole (eita) seja um grande diferencial em relação as outras mesas. Pelo menos pra mim foi, tornou ela mais desafiadora e atrativa.

Um grande mérito deste jogo é reunir a família para jogar. Nas últimas férias levei o console para a praia, e foi sensacional ver a galera disputando ponto a ponto. Meu cunhado não queria mais largar o controle. Seja jogando sozinho, ou com a galera The Pinball Arcade é diversão garantida. Ah, um detalhe importante que devo mencionar. A música do menu é uma versão instrumental de The Pinball Wizard do The Whoo, isso é muito maneiro!

E você, já jogou The Pinball Arcade? Ou só jogou em mesas de verdade mesmo? Qual a sua mesa favorita? Me conta aí nos comentários!

Álvaro Xavier

Leia o texto anterior sobre Red Dead Redemption

Leia o próximo texto sobre Assassin’s Creed: Brotherhood

Comentários do Facebook (Disqus tá lá embaixo)

Comentários do Facebook

Álvaro Xavier

Após sobreviver a uma infância horrorosa sem Rede Manchete e nem videogames em casa, conseguiu aprender a tocar violão, montar uma banda e chegar a vida adulta com alguma bagagem cultural. O sucesso nos palcos (da sua cidade) além de dinheiro, lhe trouxe o abandono de vários empregos e a possibilidade de se tornar o maior colecionador de consoles e games do seu condomínio. Descoberto nos confins da internet por Patrick Orelha, se tornou estagiário do SpamCast em 2014 e agora enfim faz parte da podosfera numa tentativa desesperada de tornar sua vida patética um pouco mais interessante. Prato preferido: Batata Frita, Ovo Fito e SPAM frito!