SpamMusic 001 – “Americana” do The Offspring.

Inauguramos hoje mais uma coluna aqui no site. Dessa vez, musicalmente falando.

O SpamMusic tem o objetivo de fazer algumas resenhas musicais do ponto de vista de seu autor, sobre determinado álbum ou projeto musical, seja ele atual ou antigo. Nada muito técnico e analítico. Mas sim pessoal.

E para estrear este primeiro texto, eu, Alex Rocha, irei falar do primeiro disco que entrou para minha prateleira: o “Americana” do The Offspring.

 

The_Offspring_-_Americana

Antes, gostaria de dizer que até os 16 anos eu era uma negação quando se tratava de música. Era um assunto muito whatever. Eu mesmo não sabia do que gostava. Música pra mim era qualquer coisa que tocava no rádio. Não tinha interesse mesmo.

Foi quando no ensino médio, em 1999, eu troquei de escola e tudo mudou. Sim, entrei no ensino médio no ano que iria completar 17. Vai, pode me chamar de burro e atrasado.

Nessa nova escola, tinha um pessoal com pensamentos bem mais diversificados e era muito comum na hora do intervalo ver alguns alunos com violão, cantando e tocando alguma coisa.

Foi aí que passei a me interessar mais por música e conheci o estilo que era o mais comum nessas rodinhas de violão: o Rock.

job
Trecho do clipe de “Why Don’t You Get a Job?”

Como todo adolescente deslumbrado e empolgado, passei a consumir esse tipo de música como ninguém. Assistia clipes na MTV (e nem era mais tanto o auge dela), emprestava de alguns amigos, que já tinham um acervo maior, CDs e fitas K7 (que já estavam com o buraco da cova aberto). Meu tio e meu pai também tinham muitos CDs e LPs com Rock. Passei a dar valor e conhecer.

Se foi fase eu não sei, mas 15 anos depois continuo o mesmo empolgado quando se trata do assunto. Ainda bem.

Contudo, uma das bandas que constantemente tinha clipe na MTV naquele ano, era o The Offspring. E foi o cd “Americana” o meu primeiro disco de fato. Aquele que peguei o meu dinheirinho, fui na loja, comprei, tirei o plástico e ouvi. Mas ouvi com gosto, repetidas vezes. Ele foi a porta de entrada para muitos outros CDs na minha prateleira.

Anos depois, com a popularização da internet, tive acesso a discografia da banda e pude conhecer outros álbuns. Mas, por ser o meu primeiro disco, tenho um enorme carinho pelo “Americana” e pela banda como um todo.

O álbum, o quinto de estúdio, foi lançado no final de 1998 e para veículos especializados está entre os 20 melhores álbuns Punk Rock de todos os tempos e alcançou, na época, a segunda colocação no ranking de álbuns dos EUA.

offspring-amer-8

O material gráfico do encarte também é muito bem trabalhado. Coisa que a geração atual infelizmente não tem acesso com a música digital. Trata-se de desenhos um tanto perturbadores e que desperta a curiosidade de quem aprecia a arte.

Mas não foi só o Punk Rock com guitarras nervosas que fez esse disco se popularizar e tocar em várias rádios do mundo. Alguns hits com pegada mais pop e misturando alguns ritmos (inclusive salsa) ainda marcam presença em muitas baladas e festas pelo mundo a fora. Falando nisso, vamos falar sobre cada uma das 13 faixas desse clássico?

1. Welcome: Faixa introdutória de 9 segundos que, como próprio título diz, dá as boas vindas a quem ouve.

2. Have You Ever: É de fato a música de abertura. Tem algumas variações na melodia e com linhas de baixo marcante. Ouvir essa música sempre me remete a sensação de apreciar o disco pela primeira vez.

3. Staring at the Sun: Começa praticamente com o finalzinho da anterior. Ela já tem uma leve pegada pop, meio que adiantando a faixa posterior, mas seguindo as características do Punk Rock.

4. Pretty Fly (for a White Guy): Digamos que esta é uma das músicas mais pop (no estilo) do The Offspring. Acredito que nesse quesito perde somente para “Cruising California” do álbum “Days Go By” de 2012, que propositalmente é uma sátira a música pop. Foi o primeiro single do disco e tem um recorde: é a música mais baixada da história da internet com 22 milhões de downloads. A música inicia com a frase “Gunter glieben glauten globen” da música “Rock of Ages” da banda Def Leppard.

offspring_kidslright480
Trecho do clipe de “The Kids Aren’t Alright”

5. The Kids Aren’t Alright: Foi com essa música que conheci de fato o The Offspring e me fez comprar o disco. Uma das músicas que mais me deixa animado quando ouço tocar. Foi o terceiro single e com um clipe sensacional. A propósito, existe um vídeo de família (hoje provavelmente mofado) em que toco broom guitar (guitarra com vassoura) enquanto meu irmão ainda novinho finge que canta. De fato essa música marcou muito a minha adolescência.

6. Feelings: Trata-se de um cover punk rock da música do premiado cantor e compositor brasileiro Morris Albert. Uma curiosidade dessa faixa é que na versão da banda, eles trocaram palavra “Love”por “Hate”. O resultado final ficou muito bom.

The_Offspring_-_She's_Got_Issues
Trecho do clipe de “She’s Got Issues”

7. She’s Got Issues: Essa é a minha preferida. Foi o quarto single e contou com um clipe muito divertido onde uma garota enxerga monstros em tudo que vê. A propósito, essa garota é interpretada pela Zooey Deschanel (a Summer de “500 Days of Summer”)  e descobri isso agora enquanto redigia esse texto. Minha cabeça explodiu igual a dos monstrinhos do clipe. Por ser a minha música preferida, obviamente foi a que eu mais ouvi. Mais até que a faixa 5.

8. Walla Walla: Sempre achei a música com uma pegada mais divertida e engraçada. Talvez porque o título (cidade do condado de mesmo nome no estado de Washington) soa engraçado. É uma música com pegada veloz e com refrão fácil.

9. The End of the Line: É uma das músicas que também gosto. É um pouco mais séria também, mas sem perder a essência da banda. Possui um baixo marcante.

10. No Brakes: Outro porradão rápido, com trechos melodiosos, mas com um refrão pra rodinha punk nenhuma por defeito.

11. Why Don’t You Get a Job?: Foi o Segundo single do álbum, também com uma pegada pop e divertida. Com um instrumental que lembra uma fanfarra com vários instrumentos, inclusive metais – e o próprio clipe demonstra isso – foi a queridinha das rádios FM do Brasil no final dos anos 90 e início dos anos 2000.

12. Americana: A faixa-título do álbum é uma das músicas mais pesadas e conta com uma letra séria e politizada. Tem uma introdução que, ao meu ver, lembra muito o Black Sabbath. Ao longo da música também podemos identificar algumas referências da banda Bad Religion.

13. Pay the Man: De cara, a faixa de encerramento já surpreende com uma introdução diferente, cuja sonorização remete às músicas árabes. Lembro que no começo não gostava muito dela. Aprendi a gostar muitos anos depois, prestando melhor atenção na sonoridade. Hoje acho fantástica. Uma das minhas preferidas. Acredito que encerrou o disco em grande estilo, mesmo fugindo bastante do tipo de som presente nas outras faixas. Incorporada a ela, temos ainda uma espécie de bônus com uma versão meio tango, meio ranchera de “Pretty Fly”.

E assim damos stop nesse álbum sensacional que fez parte da vida de muitos adolescentes do final dos anos 90, com hits que hoje ainda fazem qualquer um bater cabeça quando ouve.

Para encerrar, só mais uma curiosidade: no final de 2014 a banda anunciou o relançamento do “Americana” em vinil.

Deixo vocês com uma versão ao vivo de “The Kids Aren’t Alright” tocada na época do disco.

 

Artista/Banda: The Offspring
Álbum: Americana
Lançamento: Novembro de 1998
Gravadora: Columbia Records

Dexter Holland – Vocal e guitarra
Noodles – Guitarra solo e vocal de apoio
Greg K. – Baixo e vocal de apoio
Ron Welty – Bateria

Site Oficial: offspring.com

 

Comentários do Facebook (Disqus tá lá embaixo)

Comentários do Facebook

Alex Rocha

Publicitário que saiu do meio da tórrida e úmida floresta amazônica para passar frio no sul do país. Descobriu que essa vida de Publicidade só dá fama, sucesso e dinheiro nos filmes e seriados estilo anos 60. Por isso, inventou de fazer uma coisa muito pior: ser podcaster. Hoje usa os conhecimentos publicitários para benefício próprio somente para dizer que anos de estudos e investimentos serviram pra alguma coisa.

  • Anderson Rocha

    Ainda tenho esse álbum aqui, são bem californiana, muito bom!

    “The Kids Aren’t Alright” é a minha favorita de longe, deve ser por causa que eu (com 7 ou 8 anos acho) achava uma loucora! Hahahaha! Como aquelas pessoas faziam aquilo? Hahaha!

    Mas não lembro do vídeo da gente tocando, deveria ser muito criança pra lembrar, hehehe!

    Sobre “She’s Got Issues”:
    Antes de assistir o clipe: Mentira que é a linda da Zooey que participa!
    Depois de assistir o clipe: CARACA! é ela mesma! Rosto de novinha como sempre, hahaha!

    Gostei da nova coluna, bem promissora, e vai ser bom pra relembrar ótimas músicas!